Resenha Man!

Aquele site que você adora ver porque tem de tudo , concorda? Só para maiores de 18 anos.

Categoria: Turismo

10 roteiros para casais apaixonados

Não é nada fácil encontrar uma pessoa que faça você parar e pensar: nossa, encontrei o amor da minha vida. Isso, hoje em dia é um desafio e tanto. E quando você encontra essa pessoa e quer muito fazer uma viagem romântica, lá vem outro desafio: decidir um destino que vai agradar sua amada(o).

Pensando em te ajudar, pesquisamos e selecionamos os 10 destinos mais legais para casais apaixonados. Agora é só vocês se programarem e desfrutarem de momentos lindos e aproveitarem ao máximo essa história de amor que está só começando!

1. Fernando de Noronha (PE)

O arquipélago foi abençoado com uma natureza exuberante e abriga algumas das praias mais bonitas do Brasil. O destino é mundialmente famoso e, apesar de possuir um enorme potencial turístico, o clima romântico prevalece em Fernando de Noronha.

2. Gramado – (RS)

Com uma arquitetura que lembra a Europa e uma culinária de dar água na boca, Gramado promete dias inesquecíveis aos apaixonados. A cidade com clima de montanha é considerada uma das mais românticas do Brasil e garante uma viagem cheia de taças de vinhos refinados, saborosas panelas de fondue e muito chocolate.

3. Campos do Jordão (SP)

4. São Miguel dos Milagres (AL)

A cidade alagoana é mais um destino paradisíaco do nordeste brasileiro. São Miguel dos Milagres oferece um mar cristalino que lembra as águas caribenhas. Pousadas charmosas e praias encantadoras chamam atenção dos casais apaixonados que se direcionam a Costa dos Corais para nadar em meio aos peixes e curtir passeios de jangada a dois.

5. Jericoacoara (CE)

6. Ilha do Mel (PR)

O arquipélago do litoral paranaense conta com aproximadamente 25 quilômetros de belas praias que costumam agradar os casais. A paradisíaca Ilha do Mel é um verdadeiro refúgio para os apaixonados que estão em busca de sossego e privacidade.

7. Paraty (RJ)

Paraty é o lugar perfeito para os casais que querem aproveitar momentos de tranquilidade ao lado de paisagens privilegiadas. A cidade do litoral fluminense é cheia de encantos. O mar azul, a areia branca, o verde da Mata Atlântica e as casinhas do centro histórico dão charme ao vilarejo que promete ótimos dias de descanso aos apaixonados.

8. Veneza (ITA)

Os apaixonados que fazem uma viagem para a Europa não podem deixar de conhecer Veneza. A cidade italiana se diferencia das demais por ser totalmente tomada por rios. Durante o dia, um dos programas mais indicados aos amantes é o passeio de gôndola. Ao anoitecer, a melhor pedida para os casais é seguir rumo aos restaurantes refinados da região para desfrutar de um romântico jantar à luz de velas.

9. Paris (FRA)

Paris é um dos destinos mais românticos do mundo e isso não é novidade. A cidade exalta paixão a cada esquina e oferece uma vasta variedade de programas para os apaixonados. Apreciar a vista do topo da Torre Eiffel ou fazer um piquenique com os mais variados queijos e vinhos às margens no Rio Sena são apenas alguns deles. É por esses e outros motivos que todo casal deve, pelo menos uma vez, fazer uma viagem para a França.

10. Roma (ITA)

Quando o assunto é amor, a capital da Itália não decepciona. Roma oferece diversos passeios românticos. A cidade é um verdadeiro museu à céu aberto e reserva atrações como o Vaticano ou a Fontana di Trevi. E para deixar a sua viagem ainda mais apaixonante, nada melhor do que um jantar com vista para uma das 7 maravilhas do mundo: o Coliseu.

Itália está dando casas para quem quiser morar na Sicília

Está cansado de morar no Brasil? Se a resposta é sim, que tal uma morar na Itália? Quem quiser morar lá já pode conseguir uma casa medieval de graça na Sicília, na Comune di Gangi. As casas que antes eram vendidas por apenas € 1, agora estão sendo oferecidas sem nenhum custo.

Comune di Gangi

A ideia é repovoar a região, que hoje conta com apenas 7 mil moradores. Mas não para por aí: a ideia é também restaurar os imóveis e mudar a cara da cidade. Por isso mesmo, os moradores precisarão se comprometer a reformar a casa adquirida. Esse compromisso será selado após o depósito de uma seguro no valor de € 5 mil (R$ 17 mil)- que serão devolvidos ao proprietário após o término da reforma.

Um ponto importante é que os moradores precisarão manter as características originais do imóvel durante a reforma. E, bem, o povoado data do século 13, o que já dá uma ideia de que essas características são bastante peculiares… O projeto de reestruturação precisa ser apresentado em até um ano após a compra do imóvel e as obras deverão começar até dois meses após a aprovação do mesmo pelo governo.

Um artigo no blog Minha Saga estima que os custos com a reforma e com os papéis do imóvel fiquem em torno de € 45 mil (pouco mais de R$ 150 mil). Apesar de ser muito mais do que simplesmente não pagar nada, o valor ainda é bastante econômico quando comparado com os preços dos imóveis aqui no Brasil.

Deu uma coceirinha para vazar para a Itália? Para ver os imóveis disponíveis, é só clicar aqui.

O visto para o Canadá mudou – veja as novas regras

Não está sendo muito divulgado por aqui no Canadá e eu também não vi quase nada na imprensa brasileira, mas sim, o esquema de visto para o Canadá mudou. Não somente o visto de turista para brasileiros, mas também o esquema de pontuação do “Express Entry”, o meio  de conseguir a residência permanente no país.

morar-no-canada

No que tange a isenção do visto de turista para brasileiros, a partir de maio de 2017 começara a valer uma nova lei. Brasileiros que tiraram o visto canadense nos últimos 10 anos ou que possuem o visto americano, poderão entrar no país somente com a emissão de uma autorização eletrônica via internet. Você paga uma taxa mínima, imprime e leva com você. Essa autorização será válida por 5 anos ou até o fim da validade do passaporte atual.

Veja bem: somente para quem tirou o visto canadense nos últimos 10 anos ou quem possui o visto americano. Se esse não é seu caso, você terá SIM que tirar um visto canadense para poder visitar o país. Facilitou um pouco, “pero no mucho”.

Caso você esteja pensando em mudar para o Canadá, saiba que as regras mudaram um pouco desde o último dia 19 de novembro. Se você não sabe como funciona o “Express Entry” ou quais são as opções de imigração para o país, leia o texto que fiz sobre o assunto.

Sim, eu quero ir para o Canadá. E agora?

Agora que você já está manjando e decidido, vamos as mudanças na pontuação do “Express Entry”.

A primeira e mais impactante é que quem tem uma oferta de trabalho válida por uma empresa canadense, receberá 50 pontos a mais e não os antigos 600 pontos. Para você ter uma ideia do impacto dessa mudança, faça as contas comigo: para você ser aceito no “pool” precisa ter no mínimo 300 pontos no total dos 1200 possíveis. Mais de 3.000 pessoas com pontuação entre 200 e 250 pontos mas que tinham ofertas válidas de trabalho, somando assim um total de 800 a 850 pontos, tiveram o visto emitido nesse ano. Nessa nova regra, nem com o convite de trabalho eles estariam concorrendo ao visto pois ficariam abaixo dos 300 pedidos.

Para ofertas de trabalho de cargos de diretoria e governo em casos especiais (consulte sempre cic.gc.ca) essa pontuação é de 200 pontos. Isso deixa claro que o governo está priorizando expatriações de alto escalão nas empresas.

express-entry

A outra mudança que acho importante mencionar é que quem possui educação superior de graduação e pós graduação concluídos em território canadense, passa a ter 15 pontos a mais automaticamente. Essa pontuação sobe para 30 caso você complete um mestrado ou doutorado no pais.

Sem dúvida nenhuma essas mudanças deixam a concorrência para o visto permanente muito mais acirrada que antes e um pouco mais justa. Antes, bastava você ter uma oferta de trabalho para ser aceito no programa, já que a última nota de corte foi de 471 pontos (16/11/2016) e você poderia levar 600 só pela oferta. Agora, são 50 pontos a mais na mesma situação. Suas credenciais, performance de línguas (inglês e francês) e experiências profissional e acadêmica ganham muito mais importância.

Eu só acho que o peso para a educação em solo canadense ficou desproporcional aos outros quesitos. É indiscutível que quem faz uma graduação ou pós graduação no Canadá e fica no país com o visto de trabalho após a curso, já está adaptado ao país, clima e cultura e é o melhor candidato que existe para uma residência permanente.

Os 15 pontos para esse quesitos me parece muito baixo. Na minha opinião, deveria ser 50 pontos assim como a oferta de trabalho a um estrangeiro que mora fora do país e pode nunca ter vindo ao Canadá antes. E poderia ser os mesmos 50 pontos para todas as graduações, já que mestrado e doutorado já levam mais pontos nas credenciais acadêmicas.

Agora é esperar a próxima rodada de vistos para ver qual vai ser a nota de corte nesse novo método, o que deve acontecer entre 2 semanas e 1 mês. Assim, teremos a total noção da justiça provocada por essas mudanças e também se fica um pouco mais reais as chances de se conseguir a residência permanente.

15 museus brasileiros que você precisa conhecer

O feriado da Proclamação da República está chegando e  dessa vez ele vem com direito à emenda, pois cai em uma terça-feira. Então que tal aproveitar esse feriado histórico para conhecer um pouco dos museus do país? O Brasil tem mais de 3.200 museus catalogados, muitos deles reconhecidos internacionalmente e cheios de obras raras e famosas, como Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG). Há desde opções para os apreciadores de pintura até aqueles que gostam de arte contemporânea, confira:

1 – Instituto Inhotim, Brumadinho (MG)

Considerado o maior centro de arte contemporânea a céu aberto do mundo, o museu é cercado por um belo jardim botânico que valoriza sua área e possui mais de vinte galerias com obras de artistas de diferentes nacionalidades. As mostras, que mudam de acordo com a curadoria do museu, estimulam a participação do visitante. O museu fica em Brumadinho, cidade mineira colada em BH.

flickr_bruno-do-val_inhotim

Crédito/foto: Bruno do Val

2 – Museu da Inconfidência, Ouro Preto (MG)

É um museu histórico e artístico que ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica e mais quatro prédios auxiliares na cidade de Ouro Preto. A atração é um grande complemento para entender um dos episódios mais controversos da história do Brasil: a Inconfidência Mineira. No total são 16 salas temáticas, que abrigam os restos mortais dos inconfidentes e as supostas travas da forca de Tiradentes. Pra aliviar o clima mórbido, há obras de Aleijadinho complementando o acervo. No total são mais de 4 mil peças que retratam praticamente todas as esferas da vida sócio-cultural mineira dos séculos XVIII e XIX.

flickr_katie-biernat_museu-da-inconfidencia

3 – Museu de Ciências e Tecnologia (PUC), Porto Alegre (RS)

As instalações são extremamente interativas, com cerca de 700 experimentos de tecnologia para entreter os visitantes. As coleções científicas abrigam um vasto acervo de fósseis, espécimes representantes da biodiversidade e peças provenientes de escavações arqueológicas, que são objeto de pesquisa de mestrandos e doutorandos provenientes de várias partes do mundo.

museu-ciencia-e-tecnologia

4 –  Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre (RS)

O museu é dedicado ao pintor gaúcho Iberê Carmago. O acervo é dividido em dois núcleos, o núcleo de obras de arte é composto por mais de cinco mil obras, entre pinturas, gravuras, guaches, desenhos e estudos de Iberê Camargo. A parte documental inclui mais de vinte mil itens, como catálogos, recortes de jornais e revistas, correspondências, cadernos de notas e fotografias relacionadas à vida e obra do artista. O prédio, projetado pelo português Álvaro Siza, também abriga mostras temporárias de arte contemporânea, oficinas gratuitas e um charmoso café.

flickr_barbara-weise_fundacaoibere

5 –  Hollywood Dream Cars, Gramado (RS)

O museu é uma das principais atrações de Gramado, ideal tanto para os amantes de carro quanto para quem deseja passar um tempo em uma das atrações mais bacanas da cidade. Por aqui, há modelos das décadas de 20, 30, 40, 50 e 60, carros que marcaram épocas e fizeram história nos cinemas.

flickr_georgia-visacri_hollywood

6 – Museu de Arte Contemporânea (MAC), Niterói (RJ)

O prédio, projetado por Oscar Niemeyer, além da vista maravilhosa, tem uma arquitetura que por si só já vale a visita, por ser considerada uma das maravilhas arquitetônicas do mundo. O museu reúne um acervo pequeno, mas significativo, com obras de artistas como Jorge Guinle, Lygia Clark, Amílcar de Castro e Iberê Camargo.

flickr_mario-howat_mac

7 – Museu Imperial, Petrópolis (RJ)

A belíssima casa já serviu como palácio de verão do imperador D. Pedro II. O acervo fixo reúne móveis, jóias e documentos do Segundo Reinado. Em seu entorno, o belo jardim valoriza a construção que vale a visita.

flickr_antonio_7-museu-imperial

8 – Museu do Amanhã – Rio de Janeiro (RJ)

O Museu do Amanhã é um museu de ciências diferente, inaugurado recentemente no Rio, o espaço foi construído na Praça Mauá, centro da cidade, com uma arquitetura moderna e futurista. O Museu do Amanhã oferece uma narrativa que provoca um questionamento de como poderemos viver e moldar os próximos 50 anos.

flickr_mahm_8museudoamanha

9 –  Museu da Imagem e do Som, São Paulo (SP)

Mostras temporárias, apresentações de dança, cursos, oficinas e exibições de filmes estão entre os grandes atrativos do museu, que cresceu em popularidade com  exposições renomadas que recebeu nos últimos tempos. Entre elas: a do cineasta Stanley Kubrick, a do músico David Bowie e a do programa de TV infantil Castelo Rá-Tim-Bum. Além disso, o espaço do museu abriga um restaurante badalado que atrai muitas pessoas.

flickr_secretaria-da-cultura-do-estado-de-sao-paulo_9mis

10 – Museu de Arte de São Paulo – MASP (SP)

O prédio do Museu de Arte de São Paulo, projetado por Lina Bo Bardi, é considerado um dos grandes cartões-postais da cidade. Seu acervo expõe obras de grandes nomes da arte, tais como Rembrandt, Van Gogh, Monet, Renoir e Picasso. Além do museu em si ter uma arquitetura grandiosa que já vale a visita, a localização é ótima para conhecer a cidade.

flickr_acacio-nascimento_10-masp

11 – Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo (SP)

A Pinacoteca é um dos mais importante museus de arte do Brasil. O prédio projetado no fim do século 19 pelo arquiteto Ramos de Azevedo fica localizado no centro de São Paulo e abriga mais de 9 mil obras, a maioria delas com foco na arte brasileira. Os quadros “Tropical”, de Anita Malfatti, “Caipira Picando Fumo”, de Almeida Júnior, e “Mestiço”, de Candido Portinari, são os principais itens do acervo.

flickr_gabriela-munin_11pinacoteca

12 –  Museu do Futebol, São Paulo (SP)

A localização não poderia ser mais estratégica: o museu está instalado sob as arquibancadas do Estádio do Pacaembu. A experiência é válida tanto para os amantes do esporte como para quem só quer conhecer as instalações interativas que contam a história do futebol.

flickr_ricardoirineu_12museudofutebol

13 – Museu da Gente Sergipana, Aracaju (SE)

O espaço é um grande ponto turístico da cidade e recebe cerca de 7 mil visitantes por mês.
É um prato cheio para quem deseja conhecer mais sobre a cultura fascinante do Estado. A concepção artística é a mesma do Museu da Língua Portuguesa de São Paulo. Ou seja: prepare-se para instalações super divertidas e interativas.

flickr_governo-de-sergipe_13

14 – Instituto Ricardo Brennand, Recife (PE)

Esse museu está na lista dos melhores do mundo e entre os primeiros do ranking de museus no Brasil. O imponente castelo é uma réplica de um castelo medieval europeu que abriga, entre outros itens, mais de 3 mil armas e armaduras provenientes da Europa e Ásia. Além disso, o instituto abriga uma pinacoteca que exibe o maior acervo do pintor holandês Frans Post.

flickr_marcia-procopio-rocuet_14

15 – Museu Oscar Niemeyer, Curitiba (PR)

Popularmente conhecido como “Museu do Olho” por conta da sua arquitetura, o prédio é dedicado a mostras de artes visuais, arquitetura e design. Seu acervo fixo tem obras de nomes como Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Andy Warhol e Di Cavalcanti e é reconhecido por ser um dos maiores museus de arte da América Latina. O museu foi inaugurado em 2002, quando o prédio principal deixou de ser sede de secretarias do Estado e passou por adaptações onde em sua frente foi instalado o popularmente chamado Olho, um anexo de 30 metros de altura feitos de concreto e vidro que imprimiu uma nova identidade ao complexo.

flickr_carlosbezz_15

A BlaBlaCar, maior plataforma de compartilhamento de viagens do mundo, montou pra gente essa lista com os 15 museus que valem a viagem.

Uma semana em Toronto, Canadá

toronto-canada

Nesses mais de dois anos que moro por aqui, já virei guia turístico de amigos e familiares. Agora, quero estender à vocês queridos leitores do Drops Café, as melhores dicas para quem quer visitar Toronto por 1 semana.

Primeiro, como em qualquer viagem ao exterior, na minha opinião, pesquise. Se você não conhece o Canadá, abra um mapa. Veja onde fica o país, seus estados (províncias), suas principais cidades. Vai la no “Google” e procure saber um pouco da história e como as coisas são por aqui meio “por cima”. Dá uma olhadinha no que falam sobre Toronto, que já foi listada várias vezes como umas das melhores cidades para se viver do mundo.

Mas morar e passear são coisas muito diferentes. Além do mais, as diferentes idades, culturas e preferências aproveitam coisas distintas. Vou sugerir um roteiro de uma semana ao meu gosto e não estou recebendo nada de ninguém. Portanto, o que vou sugerir é exclusivamente da minha cabeça, sem interferência externa.

Sem esquecer do clima: aqui se tem uma cidade diferente a cada 3 meses.

Minha primeira dica é que você procure um hotel o mais próximo do centro possível. Se a verba estiver boa, dá para ficar ao lado da Union Station, a estação principal daqui de trem e metrô. Caso contrário, procure ficar perto do metrô tendo a Union como referencia. Assim você faz tudo a pé ou de transporte público.

Primeiro dia:

você provavelmente vai chegar num voo pela manhã se for direto de São Paulo e perto da hora do almoço se fizer alguma escala, provavelmente nos EUA. O melhor transporte para o centro é o UP (Union-Pearson Express). É um trem expresso que vai do aeroporto a Union em 25 minutos e custa uns 9 dólares canadenses a perna. Da Union fica fácil você ir ao seu hotel de metro, táxi, Uber, ônibus ou a pé.

Ah, não esqueça: chegou no Pearson airport, tem wifi de graça. Aproveite! Conecte, abra o navegador e dê um aceite nas condições de uso e pronto.

Se instale no hotel, tome um banho, coma e descanse um pouco. Após refazer as energias, vamos para um passeio mais calmo. Visite o Eaton Center que é um shopping center no centro da cidade que acabou virando atração turística. Lá ao lado, está a Nathan Phillips Square onde está a prefeitura e aquele letreiro “Toronto” que todo mundo tira foto. Lá no inverno é um ringue de patinação no gelo (de graça) e no verão é uma fonte com água pulando.

pontos-turisticos-canada

Enquanto estiver no Eaton, procure uma saída subterrânea que chama-se PATH. Trata-se de um túnel com mais de 27 km por baixo do centro da cidade que liga os principais prédios da região. Lá dentro tem praças de alimentação, lojas e tudo mais. Bem curioso. Mas não anda muito lá não que você vai se perder. Se isso acontecer, suba em qualquer lugar e se localize.

Para todos os jantares eu aconselho você a abrir o Trip Advisor. Nunca falhou para mim e lá no centro tem muita, mais muita opção mesmo de restaurantes de todos os tipos e gostos. Escolha de acordo com o seu bolso e seja feliz. Isso vale para os almoços também.

Dica: não deixe para comer no Eaton Center. A praça de alimentação é ruim e não tem muita opção. Lá ao lado tem muita coisa boa, aproveite o wifi de graça e pesquise!

Segundo dia: Toronto Islands! São aquelas ilhas que ficam na frente da cidade. São três destinos diferentes, mas você quer ir para a Center Island. Tem uma balsa que sai da cidade e te leva até lá rapidinho. Se você preferir e tiver no orçamento, tem também uns táxis aquáticos. A ilha é um parque e tem várias coisas para fazer lá: praia, caminhada, etc. Acesse o site e dê uma olhada. Claro que depende da época do ano que você vai. Verão? Sensacional, cheio. Inverno: esquece. Se estiver calor e sol, vá para passar o dia nas praias e parques. Caso contrário, dá uma passeadinha de meio  dia e volte.

Caso seja o meio dia seu caso, ande apé até lá apreciando a cidade e almoce na Distillery District. Lá é muito legal! Têm lojas e muitos restaurantes para você escolher. Eu, pessoalmente, gosto do El Catrin – mexicano. A guacamole é feita na hora, muito bom!

Para finalizar o dia, dê uma passada no mercadão da cidade que é o St Lawrence Market. Além de bonito, tem muita coisa interessante e o entorno é belíssimo também. Depois, vá andando até o Harbourfront que é a área bem em frente a CN Tower.

Terceiro dia: visite o High Park. Ele é um parque muito grande, dentro da cidade. Tem um mini zoo, piscina, quadras de tudo e tem também uma variedade de plantas e árvores muito legais. Ele é cheio de jardins e tem um que impressiona muito: é a Maple Leaf, folha símbolo do Canadá, feita de flores. Esse jardim fica do lado extremo oposto do metrô, portanto, a caminhada é longa!

Nesse dia você pode marcar de subir na CN Tower. O problema é que só para sorrir você paga cerca de 30 dólares canadenses por pessoa. Normalmente eu recomendo então fazer uma refeição no Restaurante 360 que é mais luxuoso (vai gastar uns CAN 70/pessoa pelo menos), mas é giratório e tem uma vista incrível lá de cima. Ou então no Horizons, que é mais um bar lounge bem mais simples. A principal vantagem de comer por lá é que você não paga a entrada e não pega fila para os elevadores, a qual pode ser bem grande. Além da refeição, claro.

high-park

Quarto dia: Niagara. Faça o check out no seu hotel, alugue um carro e vá para Niagara-on-the-lake.  Trata-se de uma cidade pequena, perto de Niagara Falls (onde ficam as cataratas) a apenas 1:15h de toronto de carro. Estacione o carro em frente ao hotel Prince of Wales e vá caminhando no sentido do relógio da torre. Esses dois quarteirões são os mais charmosos da cidade. Cheio de lojinhas de comidas e bugigangas. Tome um sorvete na Gelatto di Carlota que é sensacional. Se tiver muito frio, peça um café expresso que é o melhor que você vai tomar por aqui.

Acabando o passeio, não deixe de passar na Ice House Winery. É uma vinícola que faz um vinho que existe somente nessa região do mundo, chamado Ice Wine (vinho de gelo – numa tradução literal). As uvas são recolhidas quando a temperatura chega a -10oC e é feito o vinho. Muito bom! Tem um pacote degustação onde você poderá experimentar vários tipos de uvas e drinks com a bebida. Quem estiver dirigindo, por favor, não beba.

No fim do dia, siga para Niagara Falls, mas não vá pela estrada principal. Procure a chamada rota romântica, por dentro, que vai beirando o rio. Com um GPS é mais fácil. Pegue um hotel por lá e vá visitar o cassino do Fallsview a noite. Para quem gosta de balada, ouvi dizer que é bom também.

Quinto dia: aproveite Niagara Falls. Tem muita coisa para fazer, você vai ver, além de ver as cataratas. Não dá nem pra recomendar algo específico. Tem desde passeios por trás das cataratas, a parques de diversão, parque aquático indoor e até tirolesa.

No final do dia, antes de voltar para Toronto, dê uma parada no Outlet Collection. Têm lojas muito boas como a Nike, Gap, etc com preços e promoções bem atrativas.

niagara-falls

Sexto dia: Se estiver calor, passe o dia na praia! Se tiver com carro, uma praia bem legal a 1 hora de viagem é a Cobourg. Caso contrário, tem a Woodbine Beach dentro da cidade que é a melhor e ainda tem piscina (tudo de graça).

Se estiver frio, pegue o carro e vá para Blue Mountain. Fica mais ou menos 1:45h de carro e é um lugar completo para esquiar e curtir o frio. Daí, aconselho a você dormir por lá e fazer seu sétimo dia também.

Sétimo dia: se estiver calor e você passou o dia anterior na praia, nesse último dia vá para Canada’s Wonderland. É o parque de diversões daqui com várias montanhas russas, para quem gosta. Tem também um parque aquático, se for da sua preferência.

Como seu voo de volta deve ser bem tarde, não deixe de passar no Vaughan Mills saindo do parque. Os dois ficam numa cidade vizinha de Toronto chamada Vaughan. Esse shopping para mim é o melhor para compras que tem aqui. Se você veio para fazer compras, se é uma prioridade sua, readapte seus planos e passe o dia por lá.

Isso que deixei de fora várias coisas como o Zoológico, museus, teatros, aquário, bares, restaurantes, baladas,etc. Tem muita coisa para fazer aqui, mesmo. Essa é só uma sugestão para a primeira visita e depende muito da época do ano em que você vem também. Lembre-se: aqui o inverno é no fim do ano e o verão no meio.

Espero que gostem! Se tiverem alguma dúvida ou pergunta, pode fazer nos comentários aqui embaixo que eu tento responder na medida do possível.

Outros textos meus sobre a vida no Canadá:

Sim, eu quero ir para o Canadá. E agora?

O Candá não procura profissionais brasileiros

Canada, o Acre do mundo

Curiosidades da vida de um brasileiro no Canada

 

Page 1 of 10
1 2 3 10
Resenha Man! © 2018 Contato